Diário do Winehunter

10 dias pela Espanha

31 julho 2017
  • 3157 visualizações
  • 0 comentários

Uma viagem que deixou saudade e que rendeu a escolha de rótulos preciosos para os Sócios ClubeW nos próximos meses.

Para começarmos essa viagem, chegamos com algumas horas de diferença em Madri. Foi uma semana intensa de hunting por várias regiões da Espanha. Percorremos mais de 3.500 quilômetros em vários trechos de carro, trem e avião.

Chegamos a Madri saudados pelo simpático urso gigante no lobby do Hotel Barceló Torre de Madrid. De lá, partimos para Otero, na região de Toledo, para a vinícola Finca Constancia.

Diário do Winehunter

Uma bodega incrível, grande, com espírito de boutique, com cada vinho bem pensado. Os vinhedos são divididos em pequenas áreas, onde a competente enóloga Beatriz Paniagua pode viajar na elaboração de vinhos diferentes por parcelas.

Ela nos deu uma verdadeira aula de fermentação e terroir. A bodega está localizada em um terroir especial que aguarda para receber a denominação Pago.

Diário do Winehunter

Antes de partirmos de trem para Zaragoza, almoçamos na própria Finca Constancia. Comemos um arroz com lagosta harmonizado com o fantástico Parcela 52 Verdejo. Deixou saudades.

Dica de leitura:  Vinho faz bem à saúde?

De carro, seguimos para Barbastro, Província de Huesca, em que visitamos a Viñas del Vero e nos hospedamos no Pueblo de Alquezar. Com 200 habitantes, no meio do nada, esse vilarejo nos marcou pelo cuidado e pela beleza das paisagens. Detalhe: o prefeito era dono do hotel e ele mesmo serve um café da manhã delicioso.

Diário do Winehunter

À noite, fomos jantar na vinícola boutique de Blecua. O menu foi elaborado por um chef duas estrelas Michelin de Huesca. Um dos lugares mais inusitados da viagem!

A Blecua tem pouco mais de 17 anos e produz somente três vinhos. Entre eles, um puro-sangue Somontano de verdade. A casa, toda restaurada como uma vila italiana, abriga no subsolo uma adega impressionante. Ela era usada no passado para retiro de monges beneditinos.

Lá, há buracos nas pedras como se fossem quartos. Eles abrigam as barricas de um vinho realmente incrível. Além disso, existe uma sala com um acervo de milhares de livros de gastronomia. Nunca tínhamos visto tantos títulos de culinária do mundo inteiro. Ali, os donos convidam chefs iniciantes e renomados para pesquisar pratos que harmonizem com os vinhos de Somontano. Incrível, né?

Dica de leitura:  A nossa primeira viagem à Nova Zelândia

Diário do Winehunter

Partimos para Viñas Del Vero, bodega que também fica em Somontano — aliás, podem esperar vinhos dessa região, pois voltamos apaixonados. Após uma prova de toda a linha, que tem brancos e rosés bárbaros, nos apaixonamos por um exemplar que vai entrar no ClubeW Fresh — aguardem novidades!

Diário do Winehunter

Subimos para Secastilla (que significa sete castelos), a noroeste de Somontano, e  fomos recebidos com um piquenique típico no topo das vinhas. Foi inesquecível. Depois disso, vamos fazer uma siesta. Já estou no clima do #WinehunterRelax. Continuaremos a viagem na próxima edição.

Diário do Winehunter

Aguardem-nos!
Grande abraço!

Escrito por: Vicente Jorge

Winehunter, já lecionou em cursos de sommelier e tem mais de 22 anos de experiência no mundo do vinho.