Curiosidades

Semelhanças entre vinho e cerveja

15 Abril 2015
  • 667 visualizações
  • 9 comentários

Vinho e cerveja têm tudo a ver, embora cada uma dessas bebidas incríveis tenha seu momento ideal para ser apreciada. Confira algumas semelhanças entre as duas.

Cervejas de guarda

Os conhecedores de vinhos sabem que muitos exemplares passam por um processo de envelhecimento em barris de carvalho, podendo, inclusive, ficar anos descansando. Mas você sabia que também é possível aplicar essa mesma técnica à cerveja?

Existem mais de 150 estilos de cerveja no mundo e algumas delas são também bebidas de guarda, com potencial de permanecer envelhecendo em barris por um período de 5 a 20 anos. Já eram utilizados barris em que passaram uísques e conhaques e, recentemente, estão sendo cada vez mais usados barris em que repousaram vinhos.

Os processos de envelhecimento e guarda da cerveja enriquecem suas características originais e, assim como no vinho, agregam novos aromas e sabores advindos da madeira.

Uma das cervejarias mais tradicionais da Bélgica, a Cantillon, produz cervejas safradas, a partir de um cuidadoso processo de elaboração. Os rótulos passam por envelhecimento em barris de carvalho de Bordeaux, em que vinhos descansaram anteriormente.

Taça ISO: coringa para vinhos e cervejas

Vinho e cerveja

Da mesma forma que para cada tipo de vinho há uma taça mais adequada, cada estilo de cerveja também tem um copo mais indicado. Alguns exemplares de cerveja até trazem imagens de modelos de copos para serem utilizados.

Dica de leitura:  5 feiras do mundo do vinho

Contudo, na falta de copos específicos para cada estilo de cerveja, podemos utilizar uma taça que é um verdadeiro coringa: a taça ISO.  Criada em 1970, ela pode ser usada para todos os tipos de vinhos e para todos os estilos de cervejas.  A transparência da taça facilita a visualização da coloração da cerveja e as bordas arredondadas permitem girar a bebida liberando os aromas. Como o bojo é maior e ela é fechada na parte de cima, esses aromas são mantidos.

Uma dica importante, para vinhos e cervejas, é garantir que as taças ou copos em que eles serão servidos estejam impecavelmente limpos, já que o contato com resíduos de sujeira, gordura ou detergente podem interferir na qualidade da bebida.

Cervejas que passam pelo método Champenoise

^6B9AE98C53E5AD989CF5FF231162837D5258C275E529DEFCE0^pimgpsh_fullsize_distr

Já imaginou como seria interessante uma cerveja similar a um espumante? Pois existe um estilo cervejeiro assim, equivalente ao famoso espumante francês Champagne.

Dica de leitura:  Uma uva, muitos nomes

As cervejas deste estilo, as Bière Brut, são originadas na Bélgica e também passam pelo método Champenoise – o processo de produção dos Champagnes -, além de apresentarem diversas características parecidas, como a refrescância, a maior quantidade de gás carbônico e os sabores delicados.

Para a elaboração das Bière Brut, uma cerveja base é produzida normalmente e é envasada em garrafas de Champagne. Em seguida, adiciona-se licor de tiragem, uma mistura de levedura e sacarose, para que haja uma segunda fermentação.

Quando esse ciclo se encerra, a garrafa, inicialmente na horizontal, passa a ser girada diariamente e levantada até quase atingir a posição vertical, para que as borras sigam para o gargalo da garrafa, onde está a tampa de coroa, que será retirada para dar lugar à rolha de cortiça. A consagrada cerveja Deus, da cervejaria belga Bosteels, é uma grande representante desse estilo.

Viu só como essas duas bebidas têm semelhanças? Nós adoramos vinhos e cervejas e, inclusive, adiantamos que muito em breve virão novidades por aí.

Escrito por: Bia Miranda

Redatora e revisora da Wine, além de perdidamente apaixonada – e curiosa – pelo mundo do vinho.