Dicas

5 dicas para acertar no brinde de Ano-Novo

27 dezembro 2017
  • 946 visualizações
  • 0 comentários

Quando o assunto é celebração, o vinho não pode ficar de fora. Ainda mais o bom e festivo espumante. Confira cinco dicas para o seu brinde de ano-novo!

Virada de ano pede festa, alegria e muita celebração. E quando o assunto é comemoração, o vinho não pode ficar de fora. Ainda mais o bom e festivo espumante que encanta a todos com suas borbulhas.

Para aproveitar todo o potencial dessa bebida, é importante ficar atento a alguns pontos. A começar pela escolha do rótulo, confira 5 dicas que tornarão o seu brinde de ano-novo ainda mais especial!

1 – Escolha o espumante pela doçura

É comum notarmos algumas palavras que sempre aparecem nos rótulos dos espumantes, tais como nature, extra-brut, brut, seco, demi-sec e doce.

Esses termos classificam os espumantes de acordo com sua quantidade de açúcar, conforme manda a Legislação Brasileira. Veja abaixo as quantidades:

– Nature: até 3 (três) gramas de açúcar por litro.

– Extra-brut: superior a 3 e até 8 g/L de açúcar.

– Brut: superior a 8 e até 15 g/L de açúcar.

 Sec ou Seco: superior a 15 e até 20 g/L de açúcar.

– Demi-sec, Meio-doce, Meio-seco: superior a 20 e até 60 g/L de açúcar.

 Doce: superior a 60 g/L de açúcar.

Vale ressaltar que o teor de açúcar não agrega maior ou menor qualidade ao vinho, serve apenas pra marcar estilos e atender aos paladares que os desejem. Agora que já está claro qual é mais ou menos doce, escolha o da sua preferência ou que melhor se adeque ao paladar dos seus convidados.

Dica de leitura:  Champagne Montaudon: a nobreza dos espumantes

2 – O tipo de espumante determina as melhores harmonizações

O mais versátil de todos os espumantes é, sem dúvida, o brut, que acompanha do coquetel (incluindo saladas, frituras e carnes leves) ao prato principal.

Massas com frutos do mar, risoto de aspargos ou até mesmo queijos variados farão bonito ao lado desse espumante.

Para a sobremesa, prefira os demi-sec ou doces, que vão bem com saladas de frutas, bolos, mousses ou mesmo doces à base de frutas.

3 – Sirva na temperatura correta

Espumantes simples devem ser servidos entre 6°C e 8°C, enquanto os safrados, que possuem mais corpo e complexidade, precisam estar um pouquinho mais quente, entre 9°C e 12°C, para mostrarem seus aromas e sabores.

Na hora de gelar, pode-se usar o congelador, lembrando sempre evitar grandes choques de temperaturas, como retirar o espumante do carro bem quente e ir direto para o freezer.

Você pode também usar um balde de gelo com água para resfriar a bebida de maneira uniforme.

4 – A taça certa garante aromas e borbulhas por mais tempo

Servir o espumante na taça tipo flûte, com corpo mais alongado e boca estreita, não é frescura e possui uma explicação técnica, pois o formato ajuda a conservar o perlage (as borbulhas) e a realçar os aromas, além de conferir mais elegância.

Dica de leitura:  Como fazer Clericot

Por outro lado, alguns profissionais defendem que o espumante também precisa de mais espaço para liberar seus aromas e indicam modelos com o bojo maior.

Já existem opções de taças para espumantes com esse formato no mercado, mas você também pode servi-los em taças ISO ou de vinhos brancos. Para que a bebida não esquente rapidamente, lembre-se de sempre segurar pela haste.

5 – Não sacuda a garrafa antes de abrir

Uma garrafa de espumante tem mais gás acumulado do que um pneu de carro, praticamente o dobro. Assim, balançar a garrafa e deixar metade do líquido se perder acaba sendo um enorme desperdício.

Sem contar que, se abrirmos a garrafa devagar, o gás fica retido por mais tempo.

A forma correta de abrir é segurar a garrafa pelo fundo, nunca pela lateral, em ângulo de 45°, retirar a gaiola (arame que protege o vedante) segurando a rolha com o polegar para evitar um deslocamento inesperado e só então girar vagarosamente a garrafa ou a rolha, (o que você se sentir mais confortável), para que essa abertura seja segura e sem desperdícios.

Recomendamos para você:

( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
Escrito por: Taimmy Rodrigues

Sommelière, capixaba, com formação em História, Alta Gastronomia e em vinhos pela WSET.