Sommelier Wine

Série uvas – Pinot Noir

24 julho 2017
  • 1667 visualizações
  • 0 comentários

Natural da Borgonha, França, a Pinot Noir é conhecida por gerar vinhos delicados, frescos e também ricos em aromas. Saiba tudo sobre essa uva.

A Pinot Noir tem um cultivo difícil, pois é frágil e suscetível, além de se adaptar melhor a climas relativamente frios. Essa uva também prefere solos ricos em calcário. Somadas essas características, fica claro porque a sua região de origem, a Borgonha, tornou-se referência em vinhos produzidos com ela. Lá, a variedade alcança sua máxima expressão, revelando todas suas nuances.

Além da França, poucos países obtiveram destaque no manejo dessa casta, como a Nova Zelândia, os Estados Unidos, África do Sul e Chile.

Características dos vinhos da uva Pinot Noir

A Pinot Noir também elabora vinhos brancos, quando não vinificada com as cascas. Um exemplo é que ela é parte da composição do champagne, juntamente com a Pinot Meunier e a Chardonnay.

Um clássico tinto da Borgonha pode ser delicado ou ter média estrutura, com boa acidez e taninos discretos. Quando jovem exibe aromas de frutas vermelhas frescas e especiarias, além de nuances de tosta, café, defumado, se for amadurecido em carvalho. Já quando envelhecido, pode apresentar notas de frutas em compota, terra úmida, cogumelos e couro.

Dica de leitura:  Vinhos para casamento

Se cultivada em regiões quentes, perde um pouco o frescor, devido a uma menor acidez, e passa a exibir aromas intensos de frutas maduras.

Dicas de harmonização com os vinhos da Pinot Noir

Por ser um tinto leve, seu perfil possibilita a harmonização com carnes vermelhas de textura macia e pouca gordura, aves assadas ou ensopadas, vegetais cozidos, risotos e queijos semiduros. A baixa quantidade de taninos permite acompanhar alguns peixes de sabor acentuado, como atum e salmão.

Pratos clássicos que acompanham um Pinot Noir são os escargots à la bourguignonne e o coq au vin, e para os mais estruturados, o boeuf bourguignon. Outras combinações são língua de boi ao vinho tinto, peito de pato em molho balsâmico, ensopado de galinha d’angola e cogumelos recheados.

No caso do champagne, seja rosé ou branco, harmoniza com entradas frias, risoto de camarões e tartar de salmão fresco ou defumado, por exemplo.

Dica de leitura:  Série Uvas - Verdejo

Confira ao lado vinhos elaborados com a Pinot Noir para você se deliciar.

Recomendamos para você:

( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
Escrito por: Lucas Cordeiro

Sommelier, paulistano, com formação pela ABS-SP e WSET, e mais de 10 anos de experiência em vinhos.