Sommelier Wine

Zinfandel e Primitivo: faces de uma mesma uva

22 Março 2016
  • 2546 visualizações
  • 0 comentários

Os nomes são distintos, mas as uvas são as mesmas. Entenda o que diferencia Zinfandel e Primitivo no mundo dos vinhos.

Uma é cultivada na Califórnia e outra na Puglia, na Itália. Apesar dos lugares e nomes diferentes, já foi comprovado que se trata da mesma uva. Estamos falando da Zinfandel, como é conhecida em solo americano, e da Primitivo, seu codinome italiano.

O curioso é que até poucos anos não se imaginava a existência dessa relação tão próxima entre essas uvas, quem dirá que se tratava da mesma variedade. Conta-se que a descoberta foi feita por acaso, pelo patologista de plantas na Austin Goheen, da Universidade da Califórnia.

Em 1967, numa visita à região da Puglia, Austin provou um vinho feito com a Primitivo e notou semelhança impressionante com os da uva Zinfandel, exemplares que já conhecia muito bem.

A partir daí, deu-se início a uma série de pesquisas, que culminou na comprovação da compatibilidade entre as duas castas, em 1994, atestada com o trabalho de Carole Meredith – cientista de análise genética da vinha, professor de viticultura e enologia na Universidade da Califórnia, em Davis.

Dica de leitura:  Vinhos sem safra

Antes mesmo de ser comprovada essa questão, já havia produtor que ousava trocar os nomes das uvas na hora de rotular. Na década de 1970, por exemplo, quando a Zinfandel tornou-se popular no mercado americano, não era difícil encontrar no mercado um vinho da Puglia que trazia o nome dessa uva no rótulo, ao invés do regional Primitivo.

O inverso também aconteceu e pode ser visto até os dias de hoje. Com a Primitivo alcançando mais espaço na Itália, há vinícolas da Califórnia, principalmente as de ascendência italiana, que passaram a rotular os seus vinhos Zinfandel como Primitivo.

No fim, o que muda de uma para outra é o terroir, as características de clima e solo de cada região em que são cultivadas. Por essas influências, um vinho Zinfandel feito nos EUA geralmente é muito bem ajustado e balanceado, com taninos marcantes e aromas frutados. Já um exemplar da Puglia tende a ser muito alcoólico e de cor intensa.

Dica de leitura:  Food Trucks apostam em vinhos

Para degustar:

Dancing Bull Zinfandel 2012Dancing Bull Zinfandel 2012 – Com aroma de frutas vermelhas maduras, este tinto é frutado, macio, com bom corpo e taninos maduros.

Ghost Pines Zinfandel 2014Ghost Pines Zinfandel 2014 – Esse vinho é um blend proveniente de diferentes vinhas de Zinfandel, o que resultou em um tinto encorpado e macio, com aromas de geleia de frutas, baunilha e café.

Escrito por: