Enoturismo

Vale do Loire – Roteiro do vinho

29 Janeiro 2018
  • 497 visualizações
  • 0 comentários

Conhecido como o “Jardim da França”, o Vale do Loire é um passeio indispensável para quem é amante de arte, história e, claro, grandes vinhos. Saiba mais sobre essa região encantadora.

O Vale do Loire (pronuncia-se luárr) é conhecido por seus muitos e lindíssimos castelos – aliás, a região tem a maior concentração de castelos do mundo. A região, Patrimônio Mundial da UNESCO desde o ano 2000, ganhou o título de “Paisagens Culturais”.

Fortalezas medievais, castelos reais e residências renascentistas, solares bucólicos, catedrais impressionantes… Esse milagre artístico que se desenvolveu, sem interrupção, por mais de três séculos, deu origem ao que os historiadores chamam de “arte de viver à francesa”.

Os castelos de Chambord, Chenonceau, Sully-sur-Loire, Angers ou os Duques da Bretanha em Nantes fazem parte da coleção de 22 castelos e principais locais do Vale do Loire que revelam cada um dos capítulos fundamentais da história da França.

Uma derrota obrigou o rei da França da época, Carlos VII, expulso de Paris pelos ingleses, a se refugiar por segurança às margens do Loire, na Touraine, onde já tinham sido erguidas sólidas fortalezas.

A região apresentava uma série de vantagens: além de rica e fértil, é atravessada por um grande rio, principal via de comunicação entre o Mediterrâneo, a Borgonha, a região de Lyon e as províncias do oeste.
Refugiada inicialmente por obrigação, a nobreza depois passaria, para seu grande prazer, longas temporadas por lá. Foi assim que a região foi então batizada de “Jardim da França”.

A idade de ouro do Vale do Loire estava só começando. Assim que a paz foi reconquistada, a prosperidade econômica, aliada ao desenvolvimento das artes, deu origem a uma febre arquitetônica sem precedentes.

Como chegar ao Vale do Loire

O Vale do Loire é acessível por trens que ligam Paris a Angers, Tours e Blois. Há também uma série de operadoras que fazem excursões passando pelos principais castelos e cidades da região. No entanto, recomenda-se alugar um carro e fazer seu próprio trajeto, se paradas apressadas não forem o que deseja.

Dica de leitura:  Canelones - Roteiros do vinho

Nesse caso, você pode alugar em Paris e dirigir até o Loire. É possível conhecer dois ou três castelos em um dia. Mas você também pode pegar um trem em Paris até Amboise ou Tours e alugar um carro nessas cidades. A localização de Amboise é melhor para fazer o circuito dos castelos. Os principais castelos são Chambord, Chenonceau, Amboise, Clos Lucé.

Vale de Loire: destino turístico e vitivinícola apreciado

O “Jardim da França” é hoje um grande destino turístico, procurado, principalmente, pelos aficionados por história e pelos românticos que amam um cenário digno de filme. E não pense que a região é só para ser vista de longe.

O melhor de tudo é que boa parte dos châteaux (diz-se que são mais de 300) podem ser conhecidos por dentro e estão abertos à visitação de turistas. Outros funcionam como hospedagem. Além de visitar o castelo, você tem a oportunidade de dormir nele.

Châteaux como o Chambord – o maior castelo do Vale do Loire – ou Chenonceau – que pertenceu a mulheres como Diane de Poitiers e Catarina de Médicis – são programas imperdíveis no roteiro dos turistas. Tem château cercado por água, como o D’azay-Le-Rideau; château-fortaleza, como o Chinon; château de Leonardo da Vinci; e tem até o château do Tintim (Cheverny), que inspirou o autor do personagem a criar o palácio fictício Moulinsart.

Loire tem castelos de todos os tipos e, como são muitos, é bom preparar sua listinha de favoritos antes de ir – difícil é não ficar com o coração partido por ter que escolher só alguns.

Associe esse cenário pitoresco às cidades charmosas, como Blois e Amboise, que têm ruas de pedra, edifícios antigos, pontes em arcos que passam sobre os rios e o clima pacato de cidades do interior.

Alugue um carro para passear despreocupado, apreciar os campos verdinhos e as casas locais, e, claro, reserve um tempo do seu dia para se deliciar com a culinária francesa – de preferência, acompanhada por um vinho. O Vale do Loire é um lugar encantador: um sonho presente, mas cheio do glamour dos séculos passados.

Dica de leitura:  JP Azeitão: vinhos de sucesso em Portugal e no mundo

Alguns Châteaux do Loire

Château de Chenonceau

Foi a casa de Diana de Poitiers, amante de Henrique II. Após a sua morte, a esposa de Henrique II, Catarina de Médici, recuperou o castelo e expulsou Diana dele. As letras H e D foram utilizados na decoração do castelo, mas Henrique II sempre afirmou para a sua esposa que o D era realmente um C para Catherine.

Château de Chambord

Esse é, para muitos, o mais estonteante da região. Em 1519, Francisco I mandou construí-lo para ser seu pavilhão de caça. Ele é o maior e um dos castelos mais conhecidos do Vale do Loire. Ele faz parte da lista do patrimônio mundial da Unesco desde 1981 e é uma propriedade do estado francês. Em 1915, o castelo foi colocado sob a guarda do estado.

Château de Amboise

Seu jardim suspenso é tido como o primeiro terreno a ser ajardinado em toda a França. Outra curiosidade: uma de suas capelas abriga a tumba de Leonardo da Vinci, que viveu e trabalhou alguns anos na região.

Château de Blois

Residência de sete reis e dez rainhas da França, não promete muito: é o único dos grandes châteaux do Loire que está escondido dentro de uma cidade de certo porte. Mas seus interiores são notáveis – tanto o magnífico pátio quanto os aposentos preservados em todo o seu luxo. Seis salões da ala Luís XII abrigam o Museu de Belas Artes, com obras de artistas do porte de um Ingres. Você também pode dar a sorte de encontrar alguma encenação de um duelo medieval sendo apresentada no pátio.

Recomendamos para você:

( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
Escrito por: Taimmy Rodrigues

Sommelière, capixaba, com formação em História, Alta Gastronomia e em vinhos pela WSET.