Sommelier Wine

Vinho Barbaresco

12 Fevereiro 2018
  • 258 visualizações
  • 0 comentários

Considerado um “irmão mais novo” do famoso Barolo, o Barbaresco é um vinho elegante e cheio de história. Saiba mais.

A história do Barbaresco

Existem diversas histórias que expressam o surgimento do nome e do vinho Barbaresco. Uma delas cita que os gauleses foram para a Itália atrás de um vinho de excelente qualidade, o Barbaritium. Outra teoria narra que o nome é derivado dos povos bárbaros, que causaram a queda do Império Romano.

Outro relato cita que o proprietário de um castelo, que continha vinhedos, incentivou a produção e valorização dos vinhos da região, com o objetivo de alcançar o mesmo prestígio do Barolo. Mas independente das diferentes narrativas, hoje, o Barbaresco conquista mais espaço e admiradores a cada nova safra.

Produzido há muitos anos, o Barbaresco alcançou patamares importantes até o seu atual posto. Em 1934 foi criado o Consorzio di Tutela, com o objetivo de organizar a produção e valorizar o vinho. Em 1966 foi oficializada a sua Denominação de Origem Controlada, uma das primeiras da Itália. Já em 1980, o Barbaresco conquistou a Denominação de Origem Controlada e Garantida, o nível mais alto de classificação dos vinhos italianos.

A Denominação de Origem Controlada e Garantida

A Denominação de Origem está localizada no noroeste da Itália, na consagrada região do Piemonte. Essa denominação abrange quatro diferentes comunas, a Barbaresco, a Neive, a Treiso e a San Rocco Seno d’Elvio, esta última possui áreas na região de Alba. Os vinhedos estão localizados em áreas montanhosas, a uma altitude máxima de cerca de 550 metros acima do nível do mar.

Dica de leitura:  Série uvas - Nebbiolo

Essa denominação possui diversas especificações que caracterizam o Barbaresco, uma das mais relevantes é a uva Nebbiolo. O teor alcoólico deve conter no mínimo 12,5%, e o tempo de amadurecimento precisa ser no mínimo de 2 anos, sendo que pelo menos 12 meses precisam ser em barricas de carvalho. Porém, no caso da categoria Riserva, o mínimo são 4 anos de amadurecimento, sendo pelo menos 24 meses em madeira.

Na área da denominação está situada a Enoteca Regionale del Barbaresco, um local muito importante para o desenvolvimento do vinho ao longo de sua história. Aberta para visitação, a enoteca possui a maioria dos rótulos elaborados sob a D.O.C.G. Barbaresco, proporcionando diversos eventos, informações técnicas, turísticas e gastronômicas.

A uva

Como citamos, o Barbaresco é elaborado com a Nebbiolo. Considerada a uva tinta emblemática do Piemonte, essa variedade é nativa dessa região italiana. Ela possui casca fina e tende a gerar vinhos com grande concentração de taninos, alto potencial aromático e de longevidade.

Dica de leitura:  Toscana - Roteiros do vinho

A tipicidade do vinho

O Barbaresco pode expressar diversos aromas, pois depende do tempo de amadurecimento, do tipo de barrica, se está jovem ou mais maduro, entre outros fatores. Mas os encontrados comumente são os aromas de frutas maduras, noz-moscada, folhas secas, violeta, trufas, alcaçuz e especiarias. O paladar é elegante, com taninos presentes.

A tipicidade e o estilo do Barbaresco combinam muito bem com a gastronomia do Piemonte, e receitas à base de carne vermelha, risotos, massas com molhos mais estruturados, assim como com queijos mais duros como o Grana Padano.

Barbaresco x Barolo

É inevitável falarmos de Barbaresco sem citar o Barolo, afinal, o Barbaresco é popularmente conhecido como o “primo” e até como o “irmão mais novo” do Barolo.

Provenientes da mesma região e elaborados com a mesma uva, esses dois tintos possuem algumas diferenças nas características do terroir e nas especificações de suas denominações, que são refletidas em seus aromas e sabores.

Ambos são vinhos complexos e reconhecidos pela alta qualidade, mas cada um possui a sua tipicidade. O Barolo normalmente traz taninos mais intensos e perceptíveis do que o Barbaresco, que possui mais elegância e não precisa de muitos anos de espera para ser degustado.

Recomendamos para você:

( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
Escrito por: Nicole Batista

Sommelière e Bacharel em Química, fez imersão em algumas regiões vitivinícolas da Europa e América do Sul.